AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA (online, via aplicativo): 22/09 - 17H

imprensa

05/03/2009

Dejair critica aterro de terreno em frente a Câmara Municipal

O vereador Dejair Machado ocupou a Tribuna na Sessão Ordinária do dia 3 de março, para criticar as obras do aterro que a Secretaria de Obras está realizando no terreno localizado na Rua Eduardo Von Büettner, em frente ao prédio da Câmara Municipal de Brusque. A área foi adquirida pela Administração passada e destinado por Lei para a construção de um Teatro.

Machado disse que o atual Governo está adotando algumas prioridades com as quais não concorda. Para ilustrar sua fala utilizou o equipamento de data show evidenciando fotos de alguns lugares atingidos pelas enchentes de novembro e que ainda não obtiveram nenhuma ação do governo municipal no sentido de resolver os prejuízos.
Segundo Dejair são inúmeros os terrenos, casas e até vias públicas atingidas e até agora nada foi feito para resolver os problemas relacionados. O parlamentar frisou ainda que alguma coisa já foi feita pela atual Administração, mas a grande maioria dos problemas mostrados através das fotos em diversos locais da cidade, ainda não recebeu a devida atenção.

O vereador observou que as devidas ações não estão sendo realizadas em razão de um aterro que está sendo feito na frente da Câmara. Dejair destacou que o aterro é irregular, primeiro porque o terreno pertence à Fundação Cultural de Brusque e porque existe uma Lei, prevendo a concessão de parte do terreno para exploração de um estacionamento, além da construção do Teatro Municipal. "A Administração está deixando de lado obras prioritárias e utilizando o 'chavão' de que estão reconstruindo Brusque", alegou.

Valmir Ludvig, líder do Governo, disse estranhar a forma como Dejair levantou a questão, já que o mesmo havia efetuado um Pedido de Informações ao Governo Municipal e não esperou a resposta para concluir várias questões a respeito do "piscinão" em frente à Câmara, que estava criando mosquitos. Segundo Valmir da forma como o terreno havia sido deixado é que era uma vergonha, situação que estava gerando diversas reclamações por parte da comunidade.

Ludvig acrescentou que a intenção inicial é justamente acabar com o tal "piscinão" e que não via nada de irregular nesta atitude do Governo Municipal. O líder ainda fez menção às fotos apresentadas por Dejair, dizendo que as mesmas foram supervisionadas pela Administração anterior e que tudo o que foi mostrado pelo vereador era conseqüência das Administrações passadas que não tomaram as devidas precauções necessárias, causando um festival de problemas. Ainda sobre os caminhões, Ludvig disse que era só observar de onde os mesmos eram procedentes, pois as cargas de barro são exatamente de locais atingidos pelas enchentes e que estão sendo recuperados pelo Poder Público, para que a população possa transitar normalmente.

Por fim, Ludvig afirmou que esta é uma situação que não irá se resolver de imediato, pois muitos são os terrenos particulares e a solução terá que ser tomada com muita responsabilidade. Lembrou também que o tempo não colabora com os serviços de recuperação, pois o que tem acontecido é que a Prefeitura recupera uma rua durante o dia, a noite chove e o trabalho fica completamente prejudicado.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também