AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 11/10 - 17H

imprensa

09/09/2022

Pronunciamento

“Não somos uma Câmara omissa”, diz Cacá sobre comissão que averigua denúncias de mau cheiro no Limeira

Destaque

No início de seu pronunciamento na sessão ordinária desta terça-feira, 6 de setembro, o vereador Cassiano Tavares, o Cacá (Podemos), manifestou apoio à vereadora Marlina Oliveira (PT) por sua fala, momentos antes no plenário. A parlamentar se queixou por não ter sido envolvida em reunião que teria sido promovida na Prefeitura pela Secretaria de Educação para tratar do Projeto de Lei Ordinária nº 71/2022, que diz respeito à Gestão Democrática do ensino público nas escolas municipais de Brusque.

“Se tem alguém que deveria ter sido convidada para esta reunião, teria sido a vereadora Marlina”, disse Tavares, que fez um apelo direcionado ao prefeito Ari Vequi (MDB) e à secretária de Educação, Eliani Buemo, para que envolvam a parlamentar em projetos relacionados à educação do município.

Radio Araguaia

O vereador aproveitou o momento na tribuna para parabenizar a Rádio Araguaia pela passagem de 76 anos do veículo de comunicação. “O primeiro microfone que me foi oferecido foi na Araguaia. O meu primeiro contato com esse mundo mágico da radiodifusão foi com a Araguaia”, relembrou Cacá.

“Ela foi fundada em 1946, sendo a sétima emissora de rádio, na época. Isto prova como Brusque sempre esteve à frente, no futebol, nos Jogos Abertos, na fiação, e também na radiodifusão”, disse. “Fica aqui a minha singela homenagem à Radio Araguaia, que é um dos veículos mais importantes de Santa Catarina e um veículo de comunicação muito importante na evolução e no progresso da nossa querida cidade”, celebrou.

Área Industrial do Limeira

Num outro momento, Tavares abordou denúncias de mau cheiro no bairro Limeira que envolvem a empresa Arga Processadora de Resíduos, instalada na Área Industrial do bairro Limeira, com a doação de um terreno pela Prefeitura, aprovada pela maioria dos vereadores no ano passado. Ele relembrou que o projeto de lei que concedia o terreno foi votado separadamente dos outros quatro. “Deu muita polêmica, tivemos bastante manifestação dos moradores que eram contra. Para mim, especialmente, foi algo desgastante, pois na primeira votação eu fui contra porque ainda faltavam documentos. Na segunda, fui favorável pois os documentos foram entregues”, explicou.

“Muita coisa foi falada, que ia virar lixão, que ia dar cheiro e etc., mas eu não posso legislar por suposição. Na base legal, tinha todos os critérios para esse terreno ser cedido”, ponderou. No entanto, Cacá disse que os vereadores começaram a receber muitas reclamações, o que motivou a criação da Comissão Especial, composta por cinco vereadores, para averiguar denúncias de mau cheiro, supostamente provenientes da Arga. “Não somos uma Câmara de Vereadores omissa”, ponderou.

“Chamamos aqui o empresário. Num primeiro momento, ele contesta que o cheiro venha da empresa”, expôs. Cacá informou que a comissão está em estudos para a contratação de uma empresa de engenharia que realize um estudo técnico, a fim de concluir a origem do odor. “O cheiro está insuportável. A gente recebe reclamações todos os dias pelo WhatsApp”, compartilhou. “Pra dar uma satisfação pros moradores e pra comunidade, de uma maneira geral. A gente não está sendo omisso, estamos sim, trabalhando nisso”, afirmou. “Não vou pintar o empresário de bandido, com certeza ele é interessado em resolver isso também”, disse o vereador, que também fez apelo para que a Prefeitura contribua para os trabalhos da comissão.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também