AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 29/11 - 17H

SESSÃO ITINERANTE - CRISTALINA: 01/12 - 18H30

imprensa

03/02/2010

Vereadores fazem considerações sobre serviços na área de Saúde

Os vereadores Eduardo Hoffmann e Alessandro Simas fizeram uso da Tribuna para chamar a atenção para a importância e necessidade de alguns serviços na área de Saúde no Município. Duda primeiramente falou sobre a Lei nº 11.108/2005 que institui a presença do acompanhante no parto e pós parto, nas maternidades do Sistema Único de Saúde.  “Temos recebido questionamentos de gestantes, pois o hospital que atende SUS hoje, não proporciona esse acompanhamento. Há estudos feitos por especialistas da área que apontam que o acompanhamento no parto ajuda muito a gestante e favorece a criança. Nesse sentido, gostaria de fazer um requerimento ao Hospital Azambuja que é a entidade que atende SUS na cidade, a fim de que nos repasse a situação quanto à realização de parto humanizado e se está sendo autorizado esse acompanhamento”, sugeriu o parlamentar.

O legislador considerou também que a instalação de uma UTI Neonatal na cidade é algo que precisa ser discutido.  “Sabe-se que quando necessário é preciso transferir as crianças para Blumenau e Itajaí, e daí, encontra-se dificuldades para transportar essas crianças. Sem falar que o custo é inviável, quando não se consegue vaga pelo SUS”, alertou Duda, revelando ainda que de 2004 a 2007, cerca de 60 crianças precisaram de UTI Neonatal, sendo que apenas 18 foram transferidas e 14 vieram a óbito, talvez pela falta de UTI Neonatal ou de transporte adequado.

Alessandro Simas destacou a gravidade da situação com o exemplo de um amigo. “Acompanhei um caso em que a criança recém nascida precisava ser transferida. Encontrou-se vaga na UTI da Clínica Santa Luiza em Itajaí, que é particular. Dessa forma, o Samu negou-se a fazer o transporte, pois não se tratava de uma vaga pelo SUS. Então, passaram-se horas até que se conseguiu uma ambulância da Unimed que veio de Blumenau para fazer o transporte. Lá a criança ficou internada por 62 dias ao custo de R$ 63 mil. E graças a Deus que essa pessoa tem condições de pagar essa despesa, mas imaginem quantas que não têm. Portanto, temos que buscar uma solução urgente”, descreveu Simas, demonstrando-se determinado a lutar pela UTI Neonatal e também por um Centro de Oncologia em Brusque.

Quanto ao Centro de Oncologia, Duda Hoffmann pediu que a Prefeitura tenha maior sensibilidade ao lidar com casos de doenças de câncer. “As pessoas que enfrentam o câncer não conseguem chegar até o Estado e requerer seus direitos e então, procuram a Prefeitura. Por isso, peço ao setor de saúde que dê preferência para essas pessoas. Sabemos das dificuldades mas é preciso encontrar uma forma de agilizar o processo, já que esses pacientes não podem ficar esperando por exames e tratamentos”, declarou o legislador.

Outro assunto levantado por Hoffmann foi em relação ao Banco de Leite. “Já abordamos esse assunto em outro momento e a única coisa que queremos é uma resposta do Município se há interesse ou não em implantar a coleta e o processamento do leite aqui na cidade. Para isso, seria necessário apenas o investimento em máquinas que gira em torno de R$ 30 mil, sendo que a área física e o material humano já temos”, observou o vereador.

Celso da Silva e Dejair Machado manifestaram suas opiniões em aparte.

Áudio Relacionado

  • Arquivo temporariamente indisponível

Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

veja também