AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA : 05/07 - 17H

imprensa

04/05/2022

Pronunciamento

Jean Pirola dirige resposta a integrantes do PT: “Os inteligentes que nos chamaram de mentirosos”

Destaque

Ao usar a tribuna na sessão ordinária desta terça-feira, 3 de maio, o vereador Jean Pirola (PP) dirigiu uma resposta aos apoiadores da vereadora Marlina Oliveira (PT) que estiveram presentes em uma plenária na Câmara no final de março. Pirola disse que na ocasião, integrantes do Partido dos Trabalhadores o interpelaram e afirmaram que o ex-prefeito Paulo Eccel, da mesma sigla, havia sido absolvido das acusações que resultaram em sua cassação.

“O primeiro e único [prefeito cassado] na história de Brusque, manchou a história política brusquense. E brigaram aí comigo, me chamando de mentiroso, dizendo que ele foi absolvido, aliás, ele disputou a última eleição com liminar”, declarou.

“Infelizmente, a justiça brasileira é o que está aqui nessa decisão. Foi cassado em 2012, foi feita a sua cassação em 2013, foi retirado do comando do município em 2014, com uma decisão de colegiado. Em 2017, uma decisão monocrática revogou a decisão do colegiado, encaminhou a decisão pra primeiro grau e houve os recursos em 2017”, narrou.

Por fim, destacou a parte final da sentença, emitida em 25 de abril, sob relatoria do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. A decisão diz que a inelegibilidade, ou seja, a proibição de ser eleito em cargo político, “perdurará até as [eleições] que se realizarem aos 8 anos seguintes”, complementando que, “como os supostos ilícitos teriam ocorrido, em tese, no pleito de 2012, a eventual inelegibilidade cessou seus efeitos na eleição de 2020”, leu Pirola.

“Ou seja, não houve absolvição do ex-prefeito Paulo Eccel, o que houve é que, infelizmente, nossa justiça é assim, Gilmar Mendes pediu vistas do processo em 2017, devolveu em 2021, passou-se 8 anos da condenação e o processo perdeu o objeto por prescrição. E não teve sentença absolutória, teve sim, decisão arquivada por falta de objeto. Essa era a resposta que eu queria dar aos inteligentes que nos chamaram de mentirosos”.

Manifestações de 1° de maio

Neste contexto, o vereador comentou ainda a participação da população em atos a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), realizados em 1º de maio, Dia do Trabalho, comparando as fotos com as de manifestações de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL). “Não é uma disputa de quem botou mais gente ou menos, quem fez isso ou aquilo, mas é para demonstrar que o povo brasileiro saiu pras ruas, seja de esquerda ou de direita, fizeram as manifestações pacíficas”, avaliou.

Pirola pontuou que as manifestações pró-Lula tinham poucos adeptos: “O líder de pesquisas no Brasil não conseguiu colocar o povo na rua, não conseguiu colocar seus eleitores”, ironizou. “E aquele que está em 2° lugar nas pesquisas, que perde para todo mundo e até a 3° Via chega na frente dele — conforme a grande mídia — conseguiu, sem participar, encher praticamente todas as capitais”, disse sobre Bolsonaro.

O vereador prosseguiu com as críticas ao ex-presidente. “Ele vem com as pérolas, canta hino comunista, diz que polícia não é gente. Pra mim, policial é muito mais gente do que esses caras que, quando estão no governo, buscam a polícia pra fazer a sua segurança, interessantíssimo, né?”, contrapôs. “Quer criar uma moeda única, vamos parar na Venezuela, é isso que temos que mostrar pra nossa comunidade”, justificou o vereador.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também