AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 11/10 - 17H

imprensa

01/04/2022

Pronunciamento

André Vechi destaca ações da Educação no combate à dengue e pede consciência à população

Destaque

O vereador André Vechi (DC) atentou durante a sessão ordinária desta terça-feira, 29 de março, para a preocupante situação que Brusque vivencia por causa da dengue. “É incrível o quanto que o pessoal está pegando dengue. Isso motivou a Prefeitura a estruturar uma sala de situação, que se reuniu aqui [na Câmara] na última quarta-feira, para discutir, trazer informações e pensar numa política para combater o Aedes aegypti e, consequentemente, [diminuir] o número de contaminados. Felizmente, salvo engano, não houve nenhum óbito ainda”, afirmou.

No telão do plenário, Vechi exibiu o material impresso sobre a doença que vem sendo distribuído nas escolas públicas municipais. O panfleto traz esclarecimentos acerca da reprodução do mosquito Aedes aegypti, os sintomas da forma clássica e da forma hemorrágica da dengue e medidas de prevenção a serem tomadas para evitar a proliferação do inseto. O vereador relatou que os educandários têm trabalhado o tema com os alunos para que eles sejam replicadores de conhecimento junto às famílias. “As crianças estão levando informações para casa, porque elas cobram e muitas vezes ensinam os pais a evitar acúmulo de lixo e de água parada, mas a gente faz um apelo para que os adultos tenham essa consciência também”, enfatizou.

“O que nos deixa bem preocupados é que as pessoas estão proibindo a entrada dos agentes de endemias nas residências, o que é muito grave. A pessoa tem uma piscina parada, não quer ligar o motor para não gastar energia elétrica, o mosquito vai lá, acaba se proliferando, e eles não deixam os agentes entrarem para fazer o tratamento [na piscina], que é 100% gratuito. Não tem muita lógica”, criticou Vechi. Em casos assim, alertou o edil, a Polícia Militar poderá ser acionada a fim de que o serviço de endemias consiga agir. Ele destacou que a comunidade pode denunciar acúmulo de lixo ou de água parada pelo WhatsApp (47) 98813-0095 ou pelo telefone 156.

Pedido de cassação contra Marlina

Corregedor da Câmara, Vechi comentou que tem até a quarta-feira, 6 de abril, para emitir um parecer pelo aceite ou não da denúncia protocolada contra a vereadora Marlina Oliveira Schiessl (PT) por Luciano Camargo, após ela ter se pronunciado na tribuna da Câmara acerca de acusações de corrupção que pesam sobre o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), do qual Camargo foi diretor-presidente até esta quinta-feira, 31. O denunciante pleiteou, primeiro, a retratação pública da vereadora e, depois, a cassação de seu mandato. “Na Corregedoria, a gente não analisa a penalidade e nem a questão do mérito a fundo. O que se discute é se houve ou não a quebra de decoro”, explicou Vechi. “Se eventualmente houve quebra, aí vai ser feita uma comissão que vai analisar a punição. Quem faz a denúncia pode pedir o que bem entender, mas não quer dizer que isso será aceito”, observou o corregedor.

Por fim, ele colocou a Corregedoria à disposição da vereadora para receber denúncias, haja vista ela ter publicado um “Comunicado-resposta ao pedido de cassação” em que alega sentir-se “cerceada, discriminada, como parlamentar, como mulher e como negra na casa do povo de Brusque”, situações que classificou como “violência política e de gênero”.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também