AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA : 05/07 - 17H

imprensa

17/02/2022

Pronunciamento

“Leviano é dizer que não há claramente conflito de interesse”, dispara Marlina sobre chefe de fiscalização da Fundema

Destaque

A vereadora Marlina Oliveira Schiessl (PT) repercutiu durante a sessão ordinária desta terça-feira, 15 de fevereiro, a notícia de que o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) abriu um inquérito civil para investigar a possível omissão da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fundema) de Brusque quanto ao descarte de efluentes no rio Itajaí Mirim e outros cursos d´’água. A medida é desdobramento de uma denúncia feita por Marlina ao MPSC e outros órgãos em agosto do ano passado.

“A abertura desse inquérito caracteriza um avanço no que diz respeito à fiscalização e ao compromisso que assumimos frente à população, que está desacreditada e sem confiança na Fundema”, enfatizou a parlamentar.

Conflito de interesse

Em seguida, ela exibiu parte do currículo do chefe de fiscalização ambiental da Fundema, ocupante de cargo em comissão. Ele cursa Direito na Unifebe e possui experiências profissionais como administrador e proprietário em empresas de estamparia e confecção. “Estamos diante de, no mínimo, duas situações: a primeira é que, notavelmente, é alguém que não tem preparo técnico para estar lá e, em segundo lugar, tem conflito de interesse, pois é da área e coordena o processo de fiscalização”, advertiu a parlamentar.

Nik Angelo Imhof (MDB) disse em aparte que a vereadora estava sendo leviana: “Essa pessoa é incumbida apenas de orientar, receber denúncias e passar para os fiscais”, afirmou o líder do governo.

“Leviano é o senhor dizer que ali não há claramente conflito de interesse, depois de eu apresentar o currículo do cidadão. Isso é leviandade com a população brusquense, inclusive”, rebateu a vereadora.

No mesmo pronunciamento, Marlina ponderou que o quadro de servidores da Fundema é de fato pequeno, como tem sido alegado pela superintendente da autarquia, Ana Helena Boos, para justificar por que possíveis atos ilícitos contra o meio ambiente no município são averiguados só a partir do recebimento de denúncias. “A diferença é que a Fundema tinha, em um período histórico e político, um posicionamento mais firme”, criticou.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também