AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 11/10 - 17H

imprensa

09/02/2022

Pronunciamento

“A gente está diante de uma ausência gritante e perturbadora”, afirma Marlina sobre a conservação da cidade

Destaque

A vereadora Marlina Oliveira Schiessl (PT) criticou o Poder Executivo durante a sessão ordinária desta terça-feira, 8 de fevereiro, pelo mau estado de conservação de espaços públicos e particulares em Brusque. Munícipes teriam relatado à parlamentar que a Prefeitura não estaria atendendo a diversos pedidos por serviços de limpeza. Ela também reclamou por não ter conhecimento do cronograma de atividades da Secretaria Municipal de Obras.

“Na rede social do prefeito Ari Vequi, a cidade é um verdadeiro canteiro de obras. É trabalho, é máquina na rua, coisas acontecendo. Acredito que ele seja prefeito de uma cidade e eu, vereadora de outra”, ironizou, apresentando depois imagens de calçadas quebradas, tomadas pelo mato e a foto de uma estrada com paralelepípedos soltos.

À época da gestão de Paulo Eccel (2009-2012 e 2013-2015), lembrou Marlina, Brusque contava com mais de 50 conserveiros, profissionais que atuavam nos bairros, roçando grama, limpando calçadas, bocas de lobo e varrendo ruas. “A gente está diante de uma ausência gritante e perturbadora”, definiu.

Em aparte, André Batisti, o Deco (PL), opinou que o trabalho dos conserveiros precisa ser automatizado e estes, capacitados para operarem máquinas, a fim de que os serviços consigam acompanhar o crescimento da demanda.

Da mesma forma, Nik Imhof (MDB) observou que os trabalhos da pasta de Obras são divulgados diariamente no site da Prefeitura e sugeriu à vereadora que se atente a “todos os cantos dos bairros e não fique só no Centro”. Atualmente, disse o líder do governo, mais de 50 conserveiros se dedicam às ruas mais afastadas da região central e a Prefeitura prepara um processo licitatório com vistas a mecanizar a limpeza urbana.

“A impressão que eu tenho é que somente os espaços centrais são cuidados, pensados e que os bairros estão jogados”, respondeu Marlina. Por fim, ela citou o Código de Posturas Sustentáveis do município (Lei Complementar nº 139/2008) e cobrou o cumprimento da lei, especialmente no que concerne à higiene e à estética da cidade.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também