AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA : 20/04 - 17H

imprensa

10/03/2021

Educação

​Veículos usados no transporte escolar poderão circular por até 20 anos

Destaque

Vereadores reunidos em sessão ordinária. Foto: Arquivo/Imprensa Câmara Brusque.

Foi aprovado pela Câmara Municipal nesta terça-feira, 9 de março, em primeira discussão e votação, o Projeto de Lei Ordinária 08/2021, que estende de 15 para 20 anos a vida útil de micro-ônibus e ônibus com capacidade superior a 16 passageiros e empregados em serviços especiais de transporte em Brusque, como o escolar e o fretamento.

O texto de autoria do vereador Rogério dos Santos (DEM) mantém em 15 anos a vida útil de caminhonetes e micro-ônibus usados nessas atividades com espaço para até 16 passageiros. Para promover as mudanças, a proposta altera dispositivos da Lei 3.645/2013. De acordo com a norma, os serviços especiais de transporte podem ser explorados no município por pessoas físicas e jurídicas, mediante autorização.

A lei prevê que sejam apresentados laudos de vistorias semestrais contados dos 10 anos iniciais do veículo - no caso de caminhonetes e micro-ônibus para até 16 passageiros, ou dos 12 primeiros anos, quando se tratar de carros com capacidade superior, a fim de comprovar condições adequadas de segurança e manutenção. A inspeção deve ser executada por empresa credenciada ou autorizada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Justificativa

Santos argumentou em mensagem que a proposição “objetiva possibilitar uma maior oferta de veículos disponíveis no mercado para o uso no transporte escolar, oportunizando um ambiente de concorrência entre os prestadores do serviço, reduzindo os preços da prestação destes e trazendo maior economia à Administração Pública”.

Outro ponto considerado pelo parlamentar é a alta desvalorização dos veículos nos primeiros anos de uso. “Os operadores de transportes especiais consideram esta depreciação para os cálculos do custo da operação, o que também aumenta o preço do serviço fornecido”, prosseguiu. “A utilização de veículos novos não é garantia absoluta de que o transporte seja realizado de forma segura, de outra forma, certamente isto seria observado pelos órgãos responsáveis pela regulamentação desse tipo de transporte em âmbito nacional”, destacou.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também