AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA : 22/06 - 18H

AUDIÊNCIA PÚBLICA - PLC 09/2021 (REGULARIZAÇÃO DO HABITE-SE SANITÁRIO): 23/06 - 14H

imprensa

11/02/2021

Pronunciamento

​Jean Pirola chama atenção para problemas de saneamento básico em Brusque

Destaque

Na sessão ordinária desta terça-feira, 9 de fevereiro, o vereador Jean Pirola (PP) deu sequência à discussão sobre o reajuste de 4,52% da taxa de lixo em Brusque, deliberado pelo Decreto Municipal n° 8.843, tema já levantado pelos colegas parlamentares durante a mesma reunião.

O assunto o fez relembrar que problemas com saneamento básico e recolhimento de lixo reciclável e de entulhos já são discutidos na casa há bastante tempo. “E no saneamento básico entra também o tratamento do esgotamento sanitário, que em Brusque é zero”, exclamou.

Na avaliação de Pirola, o reajuste “ficou dentro de um padrão aceitável”, porém a tarifa em si já é alta. “Imaginem se nós não tivéssemos barrado o consórcio CIMVI nesta casa”, resgatou o vereador, ao citar a possibilidade de adesão de Brusque ao Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí.

Segundo informações do parlamentar, a taxa poderia ter encarecido mais, pois o lixo acumulado na cidade teria que ser transportado para o aterro sanitário do Consórcio, no município de Timbó. “Quanto pagaríamos hoje por essa taxa?”, indagou, reforçando a função do Poder Legislativo na análise, aprovação ou veto de iniciativas de lei.

Ele ainda chamou atenção para a quantidade de esgoto sem tratamento que pode ir diretamente para os rios da cidade. “Eu achava que Brusque tinha mais de 70% das residências com fossas sépticas e sumidouros. O Beto [Piconha] me deu uma informação que não chega a 50%”, revelou.

Samae

A respeito do Projeto de Lei Ordinária n° 05/2021, que irá possibilitar a implantação de nova rede de distribuição do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), Pirola pontuou a necessidade da ampliação. “Depois de oito anos como vereador, eu não sabia que só tinha uma única adutora que leva água para Azambuja, Águas Claras, Maluche, Santa Terezinha e Santa Rita. Se ela romper, todos esses bairros ficam sem, é inadmissível”, protestou.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também