AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 11/10 - 17H

imprensa

11/11/2009

Apagão em Brusque mobiliza Vereadores

Os recentes apagões registrados na rede de distribuição de energia elétrica em Brusque geraram protestos dos Vereadores Brusquenses durante Sessão realizada no dia 10 de novembro, terça-feira, além de mobilizar o Vereador Alessandro Simas, que efetuou um requerimento à Mesa Diretora da Casa, solicitando que esta envie expediente ao Excelentíssimo Senhor Governador Luiz Henrique da Silveira, cobrando do mesmo informações sobre o projeto de melhorias e ampliação do sistema de distribuição de energia no Município de Brusque e Região. Cópia deste documento também será enviado ao Presidente da Celesc Holding e Celesc Geração, Sérgio Rodrigues Alves.

Simas baseou seu requerimento levando em conta o apagão da quinta-feira, 05 de novembro, que deixou por cerca de três horas, mais de 60 por cento  de Brusque e Região sem energia elétrica causando um grande transtorno aos setores industriais e comerciais, além das repartições públicas, hospitais e consumidores residenciais.

Simas afirmou em pronunciamento que procurou os responsáveis pela empresa em Brusque em busca de informações a respeito do apagão, recebendo a resposta de que o problema teria ocorrido no sistema de transmissão e não na área de distribuição.

Alessandro Simas também lembrou que em abril deste ano, o então presidente da Celesc Holding, Eduardo Pinho Moreira, esteve em Brusque onde participou de um almoço de idéias promovido pela Associação Comercial e Industrial e naquela ocasião teria assumido o compromisso de investimentos da ordem de 18,2 milhões de reais na área visando melhorar a qualidade do serviço prestado pela empresa à cidade e região, além de prometer que em até 15 dias, os constantes problemas verificados em nossa cidade seria identificados e resolvidos.

Em aparte, o Vereador Jonas Oscar Paegle, reafirmou que a situação em Brusque é preocupante. Relatou inclusive que na tarde de terça-feira, 10 de novembro, a Rua Azambuja ficou sem energia elétrica, o que prejudicou consideravelmente as atividades do Hospital de Azambuja. O Vereador também lembrou que no sábado os bairros de Santa Luzia e Zantão e adjacências ficaram por mais de duas horas sem energia. E esta situação não era constante, mas agora está se tornando corriqueira e a Empresa não fornece uma resposta convincente aos seus clientes.

Dejair Machado para colaborar com o Vereador Simas lembrou ao Plenário que Brusque é a décima economia do Estado, o décimo primeiro município em população e o quinto maior consumidor de energia elétrica, ficando atrás apenas pela ordem, de Joinville, Blumenau, Florianópolis e Criciúma.  Dejair chamou a atenção de que Brusque merece um pouco mais de respeito levando-se em consideração os contribuintes, os usuários, já que os números explicam o grau de importância que o Município tem no contexto econômico do Estado.

Eduardo Hoffmann também afirmou que Brusque não pode ficar a mercê da Regional de Blumenau. Todos os problemas que aqui acontecem, precisam necessariamente passar pela Regional de Blumenau, o que é um sério transtorno para a comunidade. Edson Muller associou-se ao Vereador Simas em seu requerimento parabenizando-o pela iniciativa e também recordou que o Gerente local da Celesc esteve na Câmara e prometeu colaborar com a Câmara na busca por soluções para os problemas apresentados, mas infelizmente isto não está acontecendo.

Ademir Braz de Sousa foi a Tribuna e disse que um amigo costuma dizer que Brusque era a cidade do “lá tinha”. “Lá tinha”, uma agência do IPESC e hoje não tem mais. “Lá tinha” uma agência da Exatoria Estadual, hoje não tem mais. O empresariado tem que recorrer à agência de Itajaí. “ Lá tinha” uma comarca de Quarta Entrância e hoje Brusque ficou para trás, causando um problema na esfera judicial e por fim “lá tinha”, uma agência regional da Celesc. Ademir também citou outra história a respeito da Celesc. Segundo o Vereador, em Curitibanos a empresa é conhecida como “Celasc”.

Valmir Ludvig, perguntou da Tribuna qual seria o motivo para estas coisas estarem acontecendo em Brusque? Colocou também a seguinte questão: Seria a intenção privatizar a Celesc? Disse o Vereador que então se relaxa, deixa o povo reclamar e aí coloca a idéia da privatização. Disse ainda que começava a desconfiar desta intenção, porque até já existe um movimento. Perguntou ainda o que diriam do Presidente Lula se isto acontecesse em todo o Brasil. Em sua opinião estão politizando estas questões.  Em seguida Ludvig fez uma espécie de desabafo. Disse que o Governador Luiz Henrique tem por hábito fazer relato de suas viagens e enquanto isso está esquecendo o povo brusquense, o povo catarinense. Citou como exemplo as horas máquinas que o Governador faz questão de anunciar para os Municípios atingidos pelas enchentes de 2008. Valmir disse que o Governo está fazendo política quando em gabinete fala do assunto, pois o dinheiro que é repassado aos Municípios para o pagamento destas horas máquinas vem do Governo Federal. Acrescentou que não é também para ficar falando do Governo Federal porque isto é uma obrigação, mas também não é correto fazer politicagem com o dinheiro que vem do Governo Federal. O Vereador também lembrou que o dinheiro prometido para a Fenarreco ainda não chegou e que o tal dinheiro da Arábia deve estar dentro de um avião porque em Brusque ele ainda não apareceu. Falou sobre estes assuntos porque em sua opinião o requerimento apresentado pelo Vereador Simas lhe deu esta abertura.

Áudio Relacionado

  • Arquivo temporariamente indisponível

Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

veja também