AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 11/10 - 17H

imprensa

04/11/2009

Vereadores voltam a discutir números da Fenarreco

Ao utilizar a tribuna na noite de terça-feira, 3, o vereador Valmir Ludvig lembrou que na semana passada foi levantada a questão da Fenarreco e que um Pedido de Informação deve dar as devidas  respostas em breve. “Eu gostaria de chamar atenção para o cuidado que se deve ter quando se pega números gerais e se faz uma interpretação que se bem entende. Quando a prestação de contas da Fenarreco aconteceu no salão nobre da Prefeitura todos fomos convidados a estar lá, onde foi apresentado um balanço geral sem entrar em detalhes, cujos detalhes, estão no contrato que foi feito e conforme todo procedimento legal. Primeiro, quero esclarecer que nas festas se costuma trabalhar a ideia de copos consumidos e não litros. Segundo, acho interessante, que os vereadores que ligaram para a Brahma e para o Ataliba para perguntar a porcentagem repassada à Prefeitura, também deveriam ter ligado para a Procuradoria ou a Prefeitura para saber todas as informações antes de fazer suposições”, declarou o vereador.

Valmir ressaltou ainda que “quando se usa a imprensa, o microfone, a página de um jornal, a gente tem que usar com no mínimo, as informações dos dois, três ou quatro lados. Falo isso porque num dos microfones que rolou pela cidade se perguntava onde está o dinheiro dos 140 mil ingressos. Porém não foram 140 mil ingressos e sim 140 mil pessoas que passaram pela Fenarreco e todo mundo sabe como funcionou, porque tinha meia entrada, teve dia em que não se pagava, teve dia em que se entrasse até às 18h também não pagava. Portanto, no mínimo a gente tem que ser honesto, porque a população precisa receber a informação correta para que possa tirar suas conclusões”, salientou o legislador.

Logo, Dejair Machado rebateu Valmir Ludvig. “O vereador não pode dizer que não fui honesto no que falei. Não mostrei mais que aquilo que nos foi passado. Fiz o cálculo do número de chope conforme o documento que recebemos, que inclusive, o líder do Governo disse ser oficial. Quanto a litragem, peguei do Jornal Município e se está errado, o jornal precisa se retratar. Com essas informações e com a receita de acordo com a prestação de contas fiz um cálculo e observei que os dados não conferem. Agora o vereador disse que são copos, e mesmo assim, eu questiono”, alegou o parlamentar.

Em relação as ligações para a Brahma e o Ataliba, Dejair disse não ver problema algum. “Se a porcentagem que a Brahma nos afiançou é de 18% e a Prefeitura diz que não é, isso é outra questão que vamos ter que discutir lá na frente. Não ia me pronunciar hoje, pois vou esperar receber a resposta do Pedido de Informações, mas como o vereador abordou o assunto, fui obrigado a rebater”, finalizou Dejair.


Confira o pronunciamento do vereador Valmir Ludvig no link:

http://www.camarabrusque.sc.gov.br/web/audio.php?cod_audio=443&cod_arquivo=608



Confira o pronunciamento do vereador Dejair Machado no link:

http://www.camarabrusque.sc.gov.br/web/audio.php?cod_audio=444&cod_arquivo=609

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também