AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA (online, via aplicativo): 09/06 - 17H

imprensa

13/02/2020

Utilidade pública

​Requerimento solicita medidas para solução de entulhos não atendidos pela coleta domiciliar

Destaque

A Câmara Municipal aprovou, na sessão ordinária desta terça-feira, 11 de fevereiro, o Requerimento n° 03/2020, de autoria do vereador Marcos Deichmann (PATR), acerca de medidas que solucionem a coleta e destinação de resíduos sólidos no município.

Na proposição, o parlamentar encaminha o pedido a três destinatários: à Agência Intermunicipal de Regulação do Médio Vale do Itajaí (AGIR), solicitando a regulamentação para empresas prestarem o serviço; ao Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (CIMVI), para que sejam retomadas negociações com o município de Brusque, quanto à participação no projeto-piloto de instalação de “ecopontos”, nos moldes já em implantação em 11 cidades do Consórcio e, por fim, ao prefeito Jonas Paegle (PSB), para que a administração pública adote medidas concretas e permanentes, que supram a falta de coleta de resíduos e entulhos não atendidos pela coleta domiciliar e por serviços particulares.

Deichmann destacou que está reforçando pedidos já submetidos pelo Legislativo. Ele relembrou requerimentos apresentados neste sentido pelo vereador Leonardo Schmitz (DEM) em 2018 e pelo vereador Paulinho Sestrem (PATR) em 2019. Com as recentes chuvas que alagaram diversos pontos da cidade, Marcos chamou a atenção para entulhos deixados nas ruas, que obstruíram passagens de escoamento da água. “Seria a falta de conscientização da população ou a falta de um lugar apropriado para jogar isso? ”, indagou.

Na tribuna, o orador disse ter entrado em contato com a Recicle Catarinense, empresa licitada pela Prefeitura para coleta de lixo domiciliar, e que a mesma informou que não recolhe materiais como sofás e colchões. Ao contatar empresas privadas, Deichmann foi informado que estas realizam o serviço por meio de coleta em caçambas, porém, o material precisa ser separado e enviado para Blumenau, uma vez que Brusque não possui local para descarte, o que acaba encarecendo a contratação.

“Se eu tenho um sofá ou qualquer coisa que a empresa de lixo não recolhe, ou uma empresa privada, que cobra caro para receber esse material, e se eu não tiver condições, onde eu vou jogar? ”, questionou o parlamentar. “Toda família tem dinheiro para pagar até R$ 350 em uma caçamba? ”, frisou. Em apartes, os vereadores Leonardo Schmitz (DEM) e Paulinho Sestrem (PATR) prestaram apoio ao orador. Os vereadores Claudemir Duarte, o Tuta (PT), Jean Pirola (PP) e Sebastião de Lima (PSDB) também se manifestaram na tribuna em prol do requerimento.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também