AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA (online, via aplicativo): 09/06 - 17H

imprensa

06/02/2020

Pronunciamento

​“De forma alguma é um mau caráter”, afirma Tuta Duarte em defesa de Keka Morelli

Destaque

“O senhor é um pai de família e de forma alguma é um mau caráter”, disse o vereador Claudemir Duarte, o Tuta (PT), dirigindo-se ao então presidente em exercício da Câmara Municipal, Gerson Luís Morelli, o Keka (PSB), ao se pronunciar durante a sessão ordinária desta terça-feira, 4 de fevereiro. A declaração de Tuta foi um revide a Ivan Martins (PSD), que reafirmou, na mesma reunião, considerar Keka um “mau caráter”. O pessedista já havia dito o mesmo em entrevista concedida a uma rádio local.

Tuta confirmou que vereadores da oposição mantiveram conversas com o bloco de situação na tentativa de virar votos para eleger o presidente da casa legislativa - articulação que não obteve êxito, já que Martins foi eleito para o cargo com nove votos, contra seis dados a Sebastião de Lima, o Dr. Lima (PSDB), que assumiu a cabeça de chapa no lugar de Keka.

Polêmica da UPA

O petista também comentou o tópico abordado na mesma reunião por Paulinho Sestrem (PATRI), que se defendeu da acusação de ter difundido informações inverídicas acerca do prédio e da contratação de profissionais para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) construída pela Prefeitura no bairro Santa Terezinha.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Sestrem contestou dados sobre a estrutura inseridos pelo governo municipal, em 2019, no site do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), os quais, para ele, dariam a entender que a UPA já estaria funcionando. A Prefeitura procurou esclarecer, em texto encaminhado à imprensa, que a inscrição efetuada junto ao CNES seria uma exigência do Ministério da Saúde e alegou que o município não tem recebido verbas federais por conta desse cadastramento.

Na semana passada, o secretário municipal de Saúde, Humberto Fornari, e o procurador geral do município, Edson Ristow, protocolaram na Câmara uma representação ética contra Sestrem. No documento, eles pedem ao corregedor do Poder Legislativo - Cleiton Luiz Bittelbrunn (PATRI) - pela cassação do mandado do vereador ou a aplicação de outra penalidade por “quebra de decoro parlamentar e conduta aética”.

“Governo, quando quer ofuscar alguém, não faz isso. Está dando pano pra manga para o meu amigo [Sestrem]”, sugeriu Tuta, destacando que o próprio Ministério da Saúde comunicou a Sestrem de que estariam equivocadas as informações divulgadas pela Prefeitura de que “o cadastro do pronto-atendimento [no CNES], mesmo sem estar em funcionamento, é um procedimento normal” e que “o lançamento de nomes de profissionais que atuam na Secretaria de Saúde no CNES foi [...] solicitada pelo governo federal”. Adiante, ele fez um apelo ao governo municipal: “Não vamos brincar com o sofrimento da população”. 

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também