AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA (online, via aplicativo): 09/06 - 17H

imprensa

07/11/2019

Administração Municipal

​Presidente do Conselho Municipal de Esportes pede revisão da legislação municipal para a área

Destaque

Na sessão ordinária desta terça-feira, 5 de novembro, o plenário recebeu o presidente do Conselho Municipal de Esporte, Marcos Maestri, que no uso da Tribuna da Livre, falou sobre os desafios e oportunidades para o esporte no município de Brusque. No plenário, Maestri declarou que o poder público tem papel fundamental no desenvolvimento de programas para acesso e estímulo ao esporte, como forma de melhorar a qualidade de vida da população.

“Acredito que há muito o que fazer quando vemos o modo que se investe o recurso público no esporte. Focamos em resultados competitivos, em especial no Jasc [Jogos Abertos de Santa Catarina], quando na verdade, os índices que deveriam realmente importar são a redução de desigualdade, o número de pessoas que tem acesso aos locais da prática esportiva e o fundamental, o resultado social e a saúde da população”, salientou o convidado.

Ele registrou a participação de Brusque na 15° edição dos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc), realizados no município de Caçador, onde a equipe alcançou a 5° colocação no estado. O presidente atribuiu os resultados ao trabalho da Associação de Pais e Voluntários dos Atletas Especiais de Brusque (Apvaeb), que atua há 14 anos com o paradesporto.

Questionado pelo vereador Ivan Martins (PSD) se a associação recebe incentivos do poder público, Maestri respondeu que neste ano houve aportes da Prefeitura, por meio da concessão da bolsa-técnico e da bolsa-atleta. O convidado reiterou que todos os atletas da associação possuem nível de pódio e, hoje, os esforços estão voltados para uma diversificação de modalidades.

Após indagação do vereador Paulinho Sestrem (PP) sobre quais recursos faltam para que a categoria possa representar o município da forma almejada, Maestri declarou que vê necessidade de converter os recursos da bolsa-atleta e da bolsa-técnico à destinação direta do incentivo às instituições envolvidas. “Por que elas têm condições de administrar essa verba e repassar na contração do técnico, na contratação do motorista e do profissional”, justificou.

Maestri também abordou dificuldades de espaço para treinamento, após o vereador Sebastião de Lima, o Dr. Lima (PSDB), entrar no assunto. “A Arena Multiuso tem outros espaços que são ocupados para outras finalidades, que não esportes. Infelizmente não pensaram em usar aquele espaço única e exclusivamente para o esporte”, lamentou. Ele explicou que isso dificulta o treinamento, pois a quadra está periodicamente sendo utilizada para outros fins.

O presidente sugeriu em plenário que seja feita uma comissão provisória para revisão da legislação municipal referente à área: “Para fazer um pente fino nestas leis e ver aquelas que podem ser regulamentadas”, disse, ao solicitar apoio. Por fim, o presidente reiterou necessidade de uma para parceria com a Câmara Municipal para resolução “dessas leis pendentes que não deixam o Conselho, a Fundação e nem o esporte de Brusque seguir célere em busca de resultados”.

Na tribuna, também se manifestaram a respeito do assunto os vereadores André Rezini (Cidadania), Marcos Deichmann (Patriota), Gerson Morelli, o Keka (PSB) e Claudemir Duarte, o Tuta (PT).

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também