AGENDA

COLETIVA DE IMPRENSA - COMISSÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO: 21/11 - 16H

SESSÃO ORDINÁRIA: 26/11 - 17H

imprensa

17/10/2019

Pronunciamento

Keka Morelli defende a valorização da carreira de professor

Destaque

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 15 de outubro, o vereador Gerson Luís Morelli, o Keka (PSB), disse, em alusão à referida data, que infelizmente os professores no Brasil não têm muito a comemorar. A desvalorização da categoria no país, observou, manifesta-se não somente por meio do pagamento de salários humilhantes, mas também nas “deprimentes condições de trabalho e na superlotação das salas de aula, que impede a realização de um trabalho de qualidade”, situações que tornam “o exercício docente improdutivo e denunciam que a sociedade vive uma inversão de valores”.

“Nunca existe dinheiro para investir em educação”, afirmou Keka ao criticar a histórica falta de prioridade do Estado brasileiro para com o ensino público. Enquanto obras do porte de modernos estádios de futebol recebem vultosos investimentos, aos educandários sequer são destinados recursos suficientes para reformas e manutenção da estrutura. Como justificativa para tamanho descaso, prosseguiu o vereador, apela-se sempre para “a observância da Lei de Responsabilidade Fiscal”, especialmente em épocas distantes do período eleitoral.

“A desvalorização da profissão docente não afeta apenas o professor em sua individualidade, mas todo o futuro de uma nação, na medida em que, se a carreira não for atraente, não atrairá os melhores talentos, que disputariam uma vaga em concurso público que acenasse com salários mais convidativos, e o ensino, cada vez menos valorizado e mais estigmatizado, já não estimula os jovens a abraçarem essa carreira”, acrescentou.

“Educação de qualidade não é favor, não é benesse que o Estado concede ao povo, é um direito legítimo de todo cidadão, obrigação do Estado, do município, é a devolução do pagamento de tantos impostos. O cidadão tem direito a professores bem remunerados e é dever do Estado exigir que os professores sejam dedicados o suficiente para que possam ofertar um ensino de qualidade. Indispensáveis, também, são os investimentos para a construção de mais estabelecimentos e eliminar a superlotação”, ressaltou.

Por fim, Keka exibiu no telão do plenário uma reportagem com foco nas medidas que levaram ao “milagre finlandês” na educação. 

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também