AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 17/09 - 17H

MULHER, O QUE TE PRENDE? - SEGUNDO ENCONTRO: 19/09 - 19H

LICITAÇÃO - PREGÃO 01/2019: 27/09 - 14H

imprensa

07/08/2019

Pronunciamento

​“Continuo sendo defensor do fechamento de qualquer tipo de albergue ou casa de passagem”, diz Jean Pirola

Destaque

Ao abrir seu pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 6 de agosto, o vereador Jean Pirola (PP) registrou elogios ao município pelos seus 159 anos de fundação, celebrados no último domingo, 4, e à administração municipal pelas comemorações oficiais alusivas ao aniversário da cidade.

Em seguida, o parlamentar deu continuidade à discussão levantada pelos vereadores que o antecederam na tribuna, Sebastião Alexandre Isfer de Lima, o Dr. Lima (PSDB) e Paulinho Sestrem (PATRI), que abordaram, respectivamente, ações de cunho voluntário dedicadas à recuperação de dependentes químicos, com ênfase aos trabalhos desenvolvidos pela Fazenda Canaã e o Projeto Vida; e o crescimento do número de moradores de rua na região central da cidade, com a consequente insegurança que esse contexto acarreta à comunidade.

“Fui e continuo sendo defensor do fechamento de qualquer tipo de albergue, casa de passagem e porcaria disso aí, porque não funciona. O que funciona é o que a Fazenda Canaã faz, tenta ao máximo recuperar o cidadão”, disse. “Agora, abrir uma porta para o cidadão tomar um banho, dormir uma noite e no dia seguinte o cara ir pra rua, que recuperação é essa, que trabalho é esse?”, questionou.

“O prefeito [Jonas Paegle] foi obrigado a abrir o Centro POP [Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua] por determinação judicial, num formato que não funciona. Estive várias vezes no local. Havia dois funcionários que trabalhavam exclusivamente com os moradores de rua, que faziam um excelente trabalho, mas há 40 dias o Ministério Público mandou demiti-los. De 40 dias pra cá, vejam como a quantidade de moradores de rua aumentou”, prosseguiu. “Não tem mais cabimento essa situação”.

Pirola salientou que os Centros POPs de cidades como Blumenau, Itajaí e Balneário Camboriu encerraram atividades. “Por que o Ministério Público não mandou reabrir nessas cidades? Por que em Balneário Camboriu ou no Centro de Itajaí se vê poucos andarilhos?”, indagou, para depois responder: “Porque Brusque está muito bom, está excelente. A população dá comida, a igreja dá roupa, a Prefeitura dá uma cama quentinha, roupa lavada. E muitas dessas roupas eles ganham, lavam e vendem ou trocam por drogas ou bebidas”.

Ele lembrou que, na Legislatura passada, um projeto de lei foi elaborado na Câmara Municipal com o intuito de proibir o consumo de bebidas alcoólicas nas praças - conferindo à Polícia Militar o poder de apreender tais produtos nesses locais, mas a ideia não vingou porque não teria maioria dos votos para aprovação.

“A culpa dessa situação é do histórico que vem ocorrendo desde que abriram a Casa de Passagem no Centro [na administração de Paulo Eccel], quando agora o prefeito foi obrigado a abrir o Centro POP, também no Centro, por determinação judicial, e o único local que ele achou foi na subida do Samae [na rua Dr. Penido], pois não tinha outro lugar”, afirmou.   

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também