AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 17/09 - 17H

MULHER, O QUE TE PRENDE? - SEGUNDO ENCONTRO: 19/09 - 19H

LICITAÇÃO - PREGÃO 01/2019: 27/09 - 14H

imprensa

02/08/2019

Celebração

​Em semana de comemoração pelos 159 anos de Brusque, Câmara condecora cidadãos honorários

Destaque

Para prestar homenagem a sete moradores do município com a entrega de títulos de cidadãos honorários, vereadores se reuniram em sessão solene nesta quinta-feira, 1° de agosto, no plenário da Câmara Municipal. A ocasião faz parte da programação da semana de aniversário de 159 anos de fundação da Colônia Itajaí-Brusque, a ser celebrado no próximo 4 de agosto.

Convidados pela casa, o prefeito Jonas Oscar Paegle (PSB), a reitora do Centro Universitário de Brusque (Unifebe), Rosemari Glatz e a diretora para assuntos de Comércio e Turismo da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), Rita de Cássia Conti, compuseram a mesa-diretora do evento, junto ao presidente José Zancanaro (PSB) e o 2° secretário Gerson Luís Morelli, o Keka (PSB).

Receberam as condecorações munícipes naturais de outras cidades que, no curso de suas trajetórias de vida, escolheram Brusque para viver e contribuir, cada qual em sua área de atuação, para o desenvolvimento social, econômico e histórico da coletividade. Ao fazer alusão do título à vinda de imigrantes europeus que se instalaram na região no século XIX, o vereador Sebastião de Lima, o Dr. Lima (PSDB), reiterou que, na época, “o repatriamento era a alternativa de sobrevivência e a possibilidade de vida próspera e digna".

O parlamentar, que discursou na tribuna em nome do Poder Legislativo, pontuou o intuito da celebração: “No propósito desta sessão para registrarmos os 159 anos, surgiu também a ideia de recuperarmos o sentido cívico da cidadania. Assim, o plenário selecionou as pessoas que hoje homenageamos. Temos plena consciência da existência de outros nomes, que desejamos fazer lembrar em igual oportunidade”.

Ao discorrer sobre sua experiência pessoal, o chefe do Executivo mencionou o fato de também ter vindo de outra localidade para fixar raízes em Brusque. “Aqui conquistei muitas vitórias, fiz parte dessa casa legislativa e hoje cuido da nossa cidade”, disse Paegle. O prefeito reiterou o convite a todos para que prestigiem as festividades preparadas pela administração municipal, estendidas até este final de semana.

Em nome dos homenageados da noite, a professora nova-trentina Maria Aparecida Costa, moradora de Brusque há 55 anos, proferiu palavras de agradecimento à Câmara pelas reverências. “Compartilhamos muitos momentos bonitos e dedicados ao povo brusquense, que nos acolheu e teceu, como é especialidade da cidade dos tecidos, histórias que merecem ser valorizadas, bem como, permitiu que constituíssemos lar e família feliz por aqui”, narrou.

Confira as histórias dos cidadãos honorários

Moacir Gomes Ribeiro - Coronel da Polícia Militar de Santa Catarina, o Comandante Gomes, como é conhecido, está à frente da 7ª Região de Polícia Militar, em Blumenau, que abrange 44 municípios, incluindo Brusque, onde reside e comandou, entre 2014 e 2018, o 18º Batalhão de Polícia Militar, até ser transferido para Lages. Nascido em Florianópolis, em 17 de maio de 1968, é casado com Luciene Mara do Nascimento Ribeiro e é pai de Lia Mara e Iller. Além das atividades que exerce como oficial, o Comandante Gomes também é professor de Ciência Política e Teoria Geral do Estado na faculdade de Direito da Unifebe. Ele chegou a Brusque em 1993, como 2º Tenente da PM. Sob seu comando, a corporação implantou projetos de reconhecido interesse social, como a Transitolândia (Escola de Trânsito), em parceria com a Guarda de Trânsito do município; o Conselho de Segurança do Centro (Conseg-Centro) - que atualmente realiza a sexta edição de um concurso de desenho e redação nas escolas; a ativação da Rede de Vizinhos; a criação da Corrida do Batalhão, entre outros. Os baixos índices de criminalidade registrados em Brusque foram destaque na imprensa nacional à época que o Comandante Gomes se despedia do 18º BPM - feito que, para ele, deve-se ao incansável trabalho dos policiais militares e o apoio da sociedade civil.

Otávio Manoel Ferreira Filho - Tenente Coronel da Polícia Militar de Santa Catarina e Comandante do 18º Batalhão de Polícia Militar, sediado em Brusque, Ferreira Filho é natural de Florianópolis, onde nasceu no dia 5 de dezembro de 1970. O oficial reside em Brusque desde junho de 2004, ano em que ocupava o posto de 2º Tenente na corporação. Foi ele o responsável por trazer ao estado o Programa de Resistência às Drogas (Proerd), desenvolvido com êxito pela PM junto a crianças e adolescentes. Além das ações preventivas ao uso de entorpecentes por meio do Proerd, a segurança no trânsito também tem sido prioridade para Ferreira Filho desde que chegou ao município. Com a adoção de ações diversas, como palestras em escolas e empresas, blitz nas ruas e a operação “Lei Seca: Se Beber, Não Dirija”, o policial viu o número de mortes no trânsito cair pela metade num período em que a população municipal praticamente dobrou. Em 2005, ele passou a morar no Loteamento Planalto, no bairro Limoeiro, onde intervém sempre que necessário em prol da segurança daquela comunidade. Sob o comando de Ferreira Filho, o 18º BPM tem contribuído para a progressiva redução dos índices de criminalidade no município, condição que posiciona Brusque como a mais segura para se viver entre as cidades com mais de 100 mil habitantes.

Marcos Eugênio Welter - Empossado em 2019 como o primeiro diretor presidente da Associação Instituto Bom Samaritano, Welter reside em Brusque desde 1969, quando, então funcionário do Banco do Brasil, foi transferido de Caçador. Natural de Joinville, nasceu no dia 6 de agosto de 1946 e, em 1971, casou-se com Vaine Terezinha Rigo. É pai de Marlon, Maicon e Rodrigo. Tornou-se preparador físico e psicológico dos filhos e seu esforçou rendeu aos garotos 11 títulos de campeões brasileiros de bicicross e outros, como campeões pan-americanos, sul-americanos, campeão e vice-campeão mundial. Welter foi um dos precursores da Associação Brusquense de Bicicross, entidade que presidiu de 1987 a 1996. Em período concomitante, exerceu o cargo de presidente da Associação Catarinense de Bicicross, de 1990 a 1996. Como delegado da Confederação Brasileira de Bicicross, representou o Brasil em eventos na Europa, América do Sul e América do Norte. Em 1993, presidiu em Brusque a “Ação da cidadania contra a fome e a miséria e pela vida”, que visava identificar e solucionar problemas nos bairros, encaminhando demandas ao poder público. Em 1995, foi condecorado em São Paulo (SP) com o título de “Comendador do Mérito Cívico e Cultural”. Em Brusque, registra também contribuições à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), a Associação de Moradores do Bairro São Luiz e o Grupo Amigo de Canto Alemão, do qual é integrante. Com artigos diversos publicados pela imprensa, Welter é presidente da Academia de Letras do Brasil - Seccional de Brusque, desde 2017. Na ALB/Brusque, ocupa a cadeira de no 2, sendo ainda membro do Conselho Superior Internacional da Academia de Letras do Brasil. Ele também é membro do Círculo Universal dos Embaixadores da Paz, doutor em Filosofia Univérsica e Patrono Nacional dos Elos Literários. Em 2019, indicou a Irmã Emília Welter ao Prêmio Nobel da Paz. A previsão é de que a seleção seja divulgada em outubro.

Maria Aparecida Costa - A história da professora Maria Aparecida com Brusque está intrinsecamente ligada à educação. Vinda de Nova Trento, onde nasceu em 8 de maio de 1948, ela chegou ao município em 1964, aos 15 anos, para cursar o Magistério. Orfã do pai - Marçal Valle - havia quatro anos, desde cedo foi acostumada a auxiliar a mãe, Alzira Maria Busnardo Valle, e a numerosa família, nas tarefas e finanças da casa. Em Brusque, não foi diferente. Para bancar os estudos, ela procurou emprego na Fábrica de Tecidos Büettner, onde trabalhou durante todo o período em que cursava o Magistério. Já formada, iniciou a carreira de professora na rede pública de ensino estadual, lecionando na Escola Multisseriada Ourinhos, em Vidal Ramos. Meses depois, pediu remoção para o Instituto Santa Inês, em Brusque, passando adiante para a Escola Multisseriada Azambuja, onde atuou por mais de 24 anos, até se aposentar, em 1992. Do matrimônio com Oci José Costa, teve uma filha, Adriana, também formada no Magistério, e que lhe deu três netas - todas seguiram a profissão da avó. Para Maria Aparecida, este é um sinal de que as três gerações compartilham do mesmo sentimento, que transcende o tempo: o amor pela educação.

Solis Queiroz Duarte - Natural de Santana do Livramento, no estado do Rio Grande do Sul, Solis nasceu em 28 de outubro de 1960, filho de Athanagildo Duarte e de Gonçalina Queiroz Duarte. Iniciou a vida profissional aos 14 anos, como aprendiz em uma cooperativa rural. Mas seria nos campos de futebol que ele alcançaria o sucesso e chegaria a Brusque: em 1992, o capitão do time que deu ao Brusque Futebol Clube o primeiro e único título de campeão catarinense escolheu o município para viver e criar seus dois filhos, à época com dois e sete anos. O esporte entrou cedo em sua vida. Ainda garoto, participava de torneios de futebol em Santana do Livramento. Aos 18 anos, servindo no Exército, foi convidado a fazer parte da categoria de base do Amour Futebol Clube, da sua cidade natal. Com o término do serviço militar, em 1977, passou a ser zagueiro do time profissional do Amour FC, campeão da segunda divisão do campeonato gaúcho de 1980. O desempenho de Solis nos gramados lhe rendeu um contrato com o Novo Hamburgo FC, também do Rio Grande do Sul, em 1981, e, no ano seguinte, ele ingressaria no clube Botafogo, do Rio de Janeiro (RJ), para uma temporada. O atleta retornou ao Novo Hamburgo FC em 1983. Nessa época, já estava casado há cerca de um ano com Vera Lúcia Alves Corrêa Duarte. Dessa união, nasceu, em 1984, o primeiro filho do casal, Wesley. Em 1986, campeão estadual pelo Criciúma Esporte Clube, de Santa Catarina, Solis disputou a série B do campeonato brasileiro pelo mesmo time. Retornou a Novo Hamburgo em 1990 e foi pai pela segunda vez, agora de uma menina, Wellen. Dois anos depois, o Brusque FC o traria novamente a terras catarinenses. Em 1994, foi campeão catarinense pelo Figueirense e, em 1997, com a camisa do Bruscão, levou o título da segunda divisão do estadual. Desde 2000, quando encerrou a carreira, trabalha junto a categorias de base. Passou pelo Brusque FC, o Paysandu e, atualmente, está no Santos Dumont e no Bandeirante.

Ordemar Santo Darossi - O barbeiro que ostenta o maior tempo de serviço em Brusque - trabalho este que vem desempenhando, ininterruptamente, há 64 anos - nasceu em São João Batista, no dia 24 de março de 1937. Conta que chegou a Brusque em 2 de janeiro de 1955, para trabalhar na barbearia de Alfredo Modesti. Pretendia ficar apenas três meses no município, mas as amizades construídas neste curto período o fizeram criar raízes com a terra e a sociedade brusquense. Casado há 57 anos com Norma BodenmüllerDarossi, teve com a esposa dois filhos, Fabrício, que vive na Itália, e Fabiano, já falecido. Darossi diz que tem “Brusque no coração”. Suas contribuições à cidade já foram reconhecidas em outro momento pela Câmara de Vereadores, quando, em setembro de 2015, o veterano barbeiro foi homenageado com a Comenda do Mérito Profissional, em alusão, à época, aos seus 60 anos de atividades profissionais. “Agradeço, porque, acima de tudo, ele é um pai incrível, que soube educar, passar a importância do respeito, da humildade, da felicidade nas pequenas coisas. Que, independente dos problemas, sempre chegava com um sorriso em casa e uma novidade para contar. Ele soube transformar momentos difíceis em aprendizado”, escreveu via e-mail, naquela oportunidade, o filho Fabrício. Ao se manifestar na tribuna, Darossi se declarou surpreso com a homenagem: “Quero agradecer à minha família, aos meus vizinhos e colegas de serviço, a toda minha clientela e especialmente a Brusque, onde constituí minha família”.

José Cyro de Moura Gomides - Natural de Volta Redonda, no estado do Rio de Janeiro, o Doutor Cyro, como é conhecido pelos brusquenses, nasceu em 23 de abril de 1964. Mudou-se para Brusque em 1995, a convite do médico pneumologista Márcio Andrade Martins, ingressando no corpo clínico do Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux - Hospital Azambuja. No mesmo ano, passou a integrar também a Unimed Brusque. Até 2003, trabalhou como plantonista no pronto-socorro e na Unidade de Tratamento Intensivo do Azambuja. Atualmente, o especialista em Gastroenterologia pela Fundação Carlos Chagas e Endoscopia Digestiva, pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ), atende no Espaço de Saúde Salutar, no bairro Jardim Maluche. Ele é membro titular da Federação Brasileira de Gastroentereologia, atual vice-presidente da Sociedade Catarinense de Gastroenterologia e membro internacional da Associação Americana de Gastroentereologia. Formado pela Escola de Ciências Médicas de Volta Redonda, em 1989, Dr. Cyro também se especializou em Clínica Médica pela Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Ao longo de cinco anos (1990-1994), atuou no Hospital Santa Margarida, em Volta Redonda, e no Hospital de Guarnição da Vila Militar no Rio de Janeiro, tendo sido o Primeiro Tenente Médico da referida instituição. O filho de Sílvia de Moura Gomides e José Ramos Gomides, já falecido, tem uma irmã, Maria Sílvia Gomides Lopes. É casado com Tamara Gevaerd Gomides, com quem tem dois filhos, Mateus, de 16 anos, e Lucas, com 13, estudantes do Colégio São Luiz.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também