AGENDA

RECESSO PARLAMENTAR: 17/07 - 31/07

SESSÃO SOLENE - TÍTULOS DE CIDADÃO HONORÁRIO: 01/08 - 19H

imprensa

04/07/2019

Pronunciamento

Paulinho Sestrem expõe situação da reforma de imóvel alugado para o CAPS na Hercílio Luz

Destaque

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 2 de julho, o vereador Paulinho Sestrem (Patriota) falou sobre a reforma do prédio alugado pela Prefeitura na rua Hercílio Luz, no Centro, que desde fevereiro sedia os serviços do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), o CAPS AD (para dependentes de álcool e outras drogas) e o CAPS Infantil. No mesmo imóvel, funcionava há alguns anos o Colégio Cenecista Honório Miranda. Sestrem visitou o local no mês de junho.

O parlamentar lembrou que a Prefeitura paga R$ 10 mil mensais pelo edifício. “O aluguel começou a ser pago em novembro [de 2018], mas a estrutura foi ocupada praticamente em março desse ano, ou seja, foram quase quatro meses sem utilização e, ainda por cima, no final do ano o aluguel de outro espaço na mesma rua [para o CAPS, continuava vigente]”, afirmou, lamentando que o imóvel ainda necessite de inúmeros reparos.

Sestrem exibiu imagens do interior do edifício para endossar sua argumentação e cobrou do Departamento Geral de Infraestrutura (DGI) a adequada fiscalização pela reforma: “A moça responsável pelo CAPS está cuidando da obra ao invés de cuidar da coordenação do órgão. E cadê o DGI, que deveria estar fiscalizando para que não seja jogado dinheiro fora de novo? Já foram R$ 40 mil de aluguel, obras inconsequentes e, mais do que isso, no último mês, foram gastos R$ 1.500 de energia elétrica devido aos refletores da quadra onde acontecem aulas de ginástica rítmica”.

CAPS x Ginástica Rítmica

“Pessoas que frequentam o CAPS têm depressão, transtornos bipolares, tem gente que já tentou suicídio, sofre de esquizofrenia e outros problemas”, relatou o vereador, que criticou a Prefeitura por alocar, no mesmo ambiente, as aulas de ginástica rítmica oferecidas por meio da Fundação Municipal de Esportes (FME). “Fui procurado por pais que estão muito preocupados. Não existe nenhuma separação entre as crianças da ginástica rítmica, que ficam lá quase todas as tardes, e os usuários do CAPS. Por isso também o valor da conta de energia elétrica, paga com dinheiro que vem para manter o CAPS”, disse.

“Prefeito, vice-prefeito, favor não deixar as crianças nesse local. Elas estão expostas a todos os problemas de infraestrutura e aos usuários do CAPS. Claro que as mães e pais têm que estar preocupados. A menina [responsável pelo CAPS] está perdida. Como ela vai tocar a obra se a empresa vai num dia e no outro não aparece? Cadê o DGI, o planejamento da Secretaria de Saúde e da FME?”, questionou. “Temos a quadra do bairro São Luiz, a Arena Multiuso. Não dá pra colocar as crianças nesses locais mais adequados? Estou pedindo o mínimo de segurança para elas e também para que o CAPS funcione da maneira como deve”, ressaltou. “Precisamos de atenção especial do poder público nesse estabelecimento. Faço um apelo ao prefeito Jonas Paegle e ao vice Ari Vequi para que resolvam essa situação o mais rápido possível”.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também