AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 20/11 - 17H

AUDIÊNCIA PÚBLICA - PLC 10/2018 e PLC 11/2018, QUE ALTERAM O CÓDIGO DE POSTURAS E O CÓDIGO DE PARCELAMENTO DO SOLO: 26/11 - 16H

imprensa

08/11/2018

Pronunciamento

​“O povo brasileiro acordou”, disse Ivan Martins em análise sobre os últimos anos da administração federal

Destaque

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 6, o vereador Ivan Martins (PSD) analisou, em forma de retrospectiva, o cenário da administração pública federal dos últimos anos.

“Nas eleições de 2002, vimos que o povo brasileiro quis mudar o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), elegendo o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para experimentar uma administração do PT. Lula teve sorte, pois pegou os oito anos anteriores da gestão FHC. Quando um novo presidente assume, o reflexo da gestão anterior segue por uns quatro ou seis anos”, disse.

Em sua análise sobre o governo federal realizado nos últimos anos, Martins declarou: “Começaram a aparelhar o estado para implantar um tipo um regime socialista e comunista. O povo brasileiro sentiu que não queria isso. Eles queriam um povo cada vez menos instruído para ficar submisso, a exemplo de Cuba e Venezuela. Por sua vez, a Dilma Roussef (PT) teve o azar de pegar a herança de Lula”.

O vereador salientou que a rejeição do povo brasileiro por esta gestão está refletida nas eleições. “O José Dirceu (PT) disse: ‘vamos tomar o poder’ e não ‘vamos ganhar a eleição”. Aí dá para entender por que o país está nas últimas colocações nos rankings de educação. Não houve interesse dessa administração para que a educação chegasse a um nível desejado por todos. O povo brasileiro acordou. Eu temia que já não tínhamos mais tempo para isso, ” afirmou.

“Essa diferença de quase 11 milhões de votos foi o clamor do povo dizendo ‘chega! ’”, exclamou se referindo ao comparativo de resultados entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), no 2° turno das eleições.

Em aparte, o vereador Claudemir Duarte, o Tuta (PT) contestou: “Eu torço para que dê certo. É o governo federal, sou cidadão desse país. Mas eu o questiono, não adianta falar se seu partido também estava lá, também dizia que no outro dia já ia mudar tudo”. Tuta ainda indagou que o ex-prefeito, Paulo Eccel (PT), deixou um legado em obras que vem sendo replicadas até então.

Ao finalizar, Martins demonstrou contentamento com as ações do recém-presidente eleito: “Vejo que ele está acertando, montando os ministérios com pessoas sérias e que já demonstram intenção em lutar veemente contra corrupção. Assim sendo, vai sobrar dinheiro para a saúde e educação, que antes não sobrava por conta dos desvios que aconteciam. ” 

       

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também