AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 16/10 - 17H

imprensa

28/03/2018

Pronunciamento

​Rogério dos Santos sugere que escolas municipais disponham de um cartão de débito corporativo

Destaque

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça feira, 27, o vereador Rogério dos Santos (PSD) destacou requerimento de sua autoria no qual propõe ao Executivo a criação de um cartão de débito corporativo a ser utilizado pelas escolas públicas da rede municipal de ensino, com um valor limitado, porém, capaz de atender a eventualidades mais básicas e inadiáveis dos educandários.

“O cartão corporativo não é novidade na administração pública brasileira. Seu uso está sendo cada vez mais comum para a solução de situações emergenciais de pequenas proporções, com o fim de apresentar soluções imediatas, e fugir do emaranhado burocrático das compras públicas”, argumentou o parlamentar. “Apesar do suprimento rigoroso da Secretaria de Educação em garantir um almoxarifado abastecido com produtos de rotina, sempre aparecem casos em que o diretor escolar precisa dar solução imediata, como troca de lâmpadas ou compra de papel higiênico e coisas parecidas. Nesses casos, é comum o gestor pôr as mãos no próprio bolso para se ver livre de situações embaraçosas e de baixo custo. Esses casos são produtos do altruísmo, do amor à profissão e ao sacerdócio do magistério. Geralmente, não são divulgados e a comunidade escolar nem toma conhecimento desses gestos. No nosso entendimento, o cartão de débito corporativo à disposição do diretor escolar, com um limite financeiro adequado, poderia ser a solução discreta e elegante para sanar situações inadiáveis na vida do educandário”.

Num segundo momento, Santos enalteceu a atuação de Nilson Pereira à frente da Secretaria Municipal de Trânsito e Mobilidade: “Ele está mostrando uma dinâmica bastante grande e tem atendido todos os vereadores. A gente já percebe, em diversas ruas, as pinturas, a colocação de placas. Já comprou um caminhão para o setor de pinturas, está fazendo uma licitação para a compra de seis motos para a Guarda de Trânsito e adquirindo também uma máquina para a pintura dos meios fios, que hoje é feita manualmente”.

Em aparte, Alessandro Simas (PSD) elogiou a proposta do cartão corporativo e disse que esse modelo já funciona à contento na rede estadual de ensino. Em relação a Nilson Pereira, o vereador considerou notória a mudança na gestão da Secretaria de Trânsito e Mobilidade: “A pasta tem recursos e faltava agilidade para fazer as coisas acontecerem”.

Também em aparte, Gerson Luís Morelli, o Keka (PSB), corroborou com a ideia de criação de um cartão corporativo para as escolas municipais. Ele disse que já foi professor da rede pública e que muitas vezes o diretor e os professores tinham de fazer uma “vaquinha” para comprar itens necessários à unidade. 

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também