AGENDA

SESSÃO ORDINÁRIA: 19/06 - 17H

imprensa

30/05/2018

Pronunciamento

Pirola analisa preços da comercialização de combustíveis no país e diz que falta união à sociedade

Destaque

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 29, o vereador Jean Pirola (PP) refletiu acerca das causas e consequências da greve dos caminhoneiros e destacou os preços dos combustíveis praticados no Brasil pela Petrobras desde as refinarias de petróleo até a comercialização final.

O parlamentar observou que foram comercializados no país 135,4 bilhões de litros de combustíveis em 2016. Em 2015, 141,8 bilhões; e em 2017, 136 bilhões. “Quanto a Petrobras lucra em cada litro deste? Isto é que temos de levar em consideração para saber até onde as reivindicações dos caminhoneiros estão tendo, ou não, motivação”.

Com base em dados disponibilizados no site da estatal, o vereador acrescentou que nesta última terça-feira cada litro de gasolina saía das refinarias ao preço de R$ 1,95; o litro do diesel era vendido a R$ 2,10. “Hoje, tem lugares vendendo gasolina a R$ 9 e tem fila para abastecer os carros. Isso é uma vergonha para o Brasil”, frisou.

No dia 28 de abril, exemplificou, o litro da gasolina custava R$1,79 nas refinarias e o diesel, R$ 2,11: “Em Brusque, pagávamos R$ 3,90 nas bombas, mas na maior parte do Brasil esse valor passava de R$ 4. Das refinarias até o consumidor final, o preço quase dobra”.

Pirola também discorreu sobre a composição do preço final dos combustíveis, demonstrando que o maior percentual do valor cobrado - 32% - fica com a Petrobras. “Isso quer dizer que aproximadamente R$ 1,30 saem líquidos para a Petrobras. Isso, multiplicado por 140 bilhões de litros ao ano, a gente sabe quanto que estão ganhando apenas no combustível”, avaliou. O preço final, disse, é composto ainda por CID, PIS, Pasep e Cofins (16%), ICMS (29%) e o custo do etanol (11%). “Para a revenda, ficam apenas 12%. É com este lucro que trabalham os donos dos postos. Já no caso do diesel, esse percentual é de 9%”.

“Perdoem-me, mas o governo e a Petrobras estão gozando com a nossa cara. Estão dando R$ 0,46 centavos no diesel e não estão falando da gasolina. O que vai acontecer é que vão embutir esse desconto no preço da gasolina e do álcool, ou em outros impostos, e nós vamos ter que engolir, porque a população ainda não aprendeu a ser unida. Tivemos a prova disso hoje em nossa cidade. Tem pessoas que reclamam por esperar duas ou três horas na fila do Hospital de Azambuja, mas estavam rindo e contando piadas por oito horas na fila de um posto de gasolina, para abastecer o carro a R$ 4,29 o litro, que da refinaria a R$ 1,71”.

    Nenhum tópico relacionado para este conteúdo;

    veja também